12/03/2007

Qual o destino?

Já já vai começar. Primeiro dia no curso de ROTEIRO DE CINEMA. Nossa, nem parece que tenho 3.4 e que não tô indo pro primeiro dia no jardim da infância, mas desde que acordei não penso em outra coisa - que a chefia não saiba disso. Até arrumei uma pasta lá em casa, sim, porque eu não ia chegar no primeiro dia de aula sem ao menos uma pasta pra guardar o material dentro. Será que vai ter material já no primeiro dia?

Na sexta me disseram que vivo em estado de surto - nem sei se isso era uma crítica positiva ou não, mas gostei da definição. A mesma pessoa disse que surtos acontecem como forma de desviar-se de uma realidade que não te satisfaz (ave, filosofia demais pra uma sexta-feira). Bom, filosofia errada: não quero me desviar de nada que tô fazendo agora. Tá tudo p-e-r-f-e-i-t-i-n-h-o. Sem precisar tirar nadinha do lugar, mas surtei de ir estudar roteiro.

Eu gosto muito de tá assim como tô agora. É uma vontade de fazer um bocado de coisas e sentindo que vêm ventos por aí. Liu diz que alguém tem que me botar numa jaula com seis cadeados e dois leões vigiando do lado de fora... sei o que é isso não, mas tem asinhas fazendo cócegas dentro do meu estômago. Na última vez, o vento passou e vim parar no Rio de Janeiro.

1 comentário:

maria claudia disse...

Eu já senti isso, mas ninguém definiu tão bem assim.
Acho que todos nós "surtamos".
Acho que o surto nada mais é do que a vontade, que não necessariamente vem acompanhada de algo concreto.
Acho que é a vontade de viver que existe dentro da gente, mas que por tantas outras coisas pequenas nos faz esquecer por que estamos aqui.
Viver é bom.
Ter borboletas no estômago faz parte. A esperança aparece pra nos sussurar que vale a pena...
mesmo sem saber no que vai dar.
beijos e boa sorte no curso!