27/03/2007

legendado

O carro nem era um carrão, mas a mulher - que nem era tao elegante - se abanava tao lindamente com o leque, comprado no Saara certamente, que a cena me fez tirar o fone do ouvido pra prestar bem atenção naquela imagem no meio do trânsito do aterro. Parecia uma tia, daquelas que moram longe e que a gente ouve muito mais falar do que convive.

Fiquei pensando, eu também sou uma tia que mora longe e que é muito mais palavra que presença. Mas, não uso leque comprado no Saara e nem comprado em lugar nenhum. Sou a tia que ouve o som do Teatro Mágico no MP3 e que levava os moleques ao cinema.

O carro da mulher do leque se foi e fiquei no bus ouvindo o som gritado de Ana e o Mar no ouvido. Hoje eu queria me chamar Ana.

1 comentário:

mc disse...

ahhh...que bom que você ficou triste
isso soou estranho né?
mas você entendeu.
sinal de que eu tava agradando a você e mais umas três pessoinhas.
eu volto a escrever em algum momento.
mas aí, eu mando tudo em segredo, porque tem gente que não tem nada que ficar bisbilhotando a vida alheia. tem gente que não merece saber se ontem eu tive cólica ou se o bicho tá pegando no trabalho.
vou fazer só pros amigos.
e você tá incluída.
mas agora é pura falta de tempo mesmo.
só não tiro ele do ar completamente porque tem todos os meus blogs favoritos por lá.
;)
e você é um deles!
beijoca estalada.